sobre saudades diárias

Coisa demais em muito pouco tempo. Em questão de 7 meses minha vida virou de ponta cabeça. De um jeito bom, mas virou. Entrei pra faculdade, comecei a trabalhar e mudei de cidade (não moro mais com minha mãe. Acabou-se o tempo do: pega minha toalha!!!).

Sempre quis essa independência toda e sempre soube que com ela viriam muitas responsabilidades: fazer sua própria comida, não esquecer de pagar as contas, tirar boas notas. Não posso dizer que preparada é a palavra certa pra dizer como eu estava; ciente e disposta combinam um pouco mais com a situação. E, apesar dos pesares, ta sendo uma experiência incrível.

A primeira coisa que eu aprendi com tudo isso foi que eu era feliz e não sabia. Não que eu não seja feliz agora, o que eu quero dizer é que percebi que não dei o devido valor aos meus anos de ensino médio e a saudade enorme que sinto deles agora só me mostra como foram bons tempos.

Dia desses, conversando com uma das minha melhores amigas, percebi que desde que o colegial acabou eu sei cada vez menos sobre a vida dos meus amigos. Ainda compartilhamos muita coisa, mas whatsapp não é o mesmo que conversar todos os dias na escola. E muita coisa mudou.

Conforme a gente cresce o número de saudades diárias só vai aumentando, mas isso não é necessariamente ruim. Saudade é sinal que o passado foi bom. No meio desse turbilhão no qual estou hoje, eu aprendi a amar ainda mais meu ontem e dar mais valor pro presente. 

1 comentários:

  1. Ai que texto maravilhoso! Também fiquei com essa saudade depois que terminei o colegial. Realmente, whatsapp não é a mesma coisa e certos amigos acabam se afastando, mas os que vieram pra ficar, ficam <3
    Beijos!

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir