23 de março de 2020

No coração da floresta

Ela passava por aquele caminho todo dia, bem cedo. Era a única rota para chegar à escola. Há uns meses ela abominou a ideia de se mudar para aquele fim de mundo, mas o preço da casa estava ótimo, sua irmã não podia recusar. Hoje, tem certeza que foi a melhor coisa que aconteceu. Ir e voltar caminhando não era um sacrifício. Naquele lugar, isso era um presente.

O sol, que ainda estava nascendo, projetava as sombras das árvores no chão de terra, essas um tanto quanto interessantes. A imaginação da garota brincava com as formas e criava histórias para elas. Ela podia jurar que havia visto um duende conversando com uma fada. Podia jurar que ouvia sussurros vindos da floresta. Podia jurar que já tinham dito seu nome.

"Deve ser só sua imaginação fértil", disse sua irmã mais velha uma noite, enquanto ela, sentada perto da lareira, contava o que achava ter visto. "Deve ser", a menina concordou. O que ela sabia ficaria guardado com ela.

No dia seguinte acordou bem cedo, tomou seu café e seguiu pelo mesmo caminho. Como sempre, deixou na cesta, escondida numa árvore na entrada da floresta, uma flor. Na volta para casa, checou o local e, como sempre, a flor havia sumido. Ninguém além dela sabia daquele lugar, daquela cesta, naquela árvore. E ela jurava, ah, ela jurava que ouvia sussurros vindos da floresta. Eles diziam: "Obrigado, Annie!".

******

Estou aproveitando esses dias em casa pra organizar. Durante a arrumação nas pastas do meu computador encontrei esse texto antigo e resolvi postar aqui. Esse sentimento de nostalgia me conforta. Espero que conforte você também.

Fique em casa!

2 comentários:

  1. Que textinho gostoso de ler! Eu acho que é assim toda vez que acho algo antigo que eu escrevi, ou me da aquela sensação gostosa de nostalgia ou uma eterna vergonha alheia (afinal, se não for pra me envergonhar pq eu nasci não é mesmo!). obrigada de verdade pelo seu comentário, foi um confortinho no meu coração tão grande saber que uma completa estranha conseguia sentir empatia pelo que eu sinto, e também entender ao menos um pouco :) te segui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada! :D
      hahaha verdade! mas nem ligo mais de passar vergonha, viu? já aceitei como parte da minha personalidade e charme, hahaha.
      não precisa agradecer... fico feliz que tenha ajudado e te feito sentir um pouco melhor. cuide-se! ❤

      Excluir

Olá!
Fico feliz com o seu comentário!
Respondo ele lá no seu blog ;)